Dia a Dia Dicas de Aluguel Dicas de Compra

6 passos para realizar uma boa avaliação de imóvel

Escrito por Imoveis Franca

Você sabe como fazer uma boa avaliação de imóvel? Sabe quais são todos os pontos que precisam ser levados em conta para que a avaliação seja a melhor possível? Avaliar um imóvel pode ser um tanto complexo. Precisamos ter em mente muitos atributos para que a escolha seja a mais coerente possível e cada detalhe pode impactar expressivamente na avaliação. Por isso, pensar em tudo que envolve a qualidade do imóvel, é o viável.

Para te ajudar, elaboramos uma lista com 6 dicas importantes para você usar como roteiro na hora de avaliar um imóvel. Assim, já saberá o que deve ser observado na hora de concluir a sua análise. Para saber mais sobre este assunto, acompanhe este artigo até o fim.

6 passos para realizar uma boa avaliação de imóvel:

1- Conheça a região em que o imóvel está localizado

O primeiro passo para fazer uma boa avaliação de imóvel é pensar na localização do mesmo. Mas, para isso, você deverá visitar o local e fazer uma análise bem aprofundada de tudo que vem acontecendo por ali. Assim, poderá levar em consideração:

Escolas perto: Se a casa for grande o suficiente para comportar uma família, é muito importante que você observe se há escolas perto. E se houver mais de uma opção, melhor ainda. Quanto mais alternativas você consegue mostrar para o cliente, maiores serão as qualidades do imóvel.

Hospital e farmácia: Quando o assunto é saúde, as pessoas também costumam levar em consideração na hora de comprar um imóvel.

Lazer e diversão: As pessoas também procuram por uma localização que represente uma boa opção de lazer e diversão.

Segurança do local: Quais são os atributos do bairro? A vizinhança costuma apresentar algum tipo de conflito? Há estabelecimentos comerciais grandes perto do imóvel? A rua é mais tranquila ou mais agitada? Todos estes pontos são cruciais na hora de estipular o valor do imóvel.

2- Analise toda a estrutura e a necessidade de reformas

Você deverá analisar toda a estrutura e a necessidade de reformas que o imóvel apresenta. Afinal, sabemos que o novo morador pode querer reformar algumas partes do novo lar, porém, isso não deve ser uma necessidade urgente.

Assim, se houver a necessidade de reforma, sem a escolha do cliente (ou seja, ele necessariamente terá que fazer reparos na casa), é claro que a mesma terá uma valorização mais baixa. Caso contrário, se o imóvel receber uma atenção recente, que restaurou qualquer tipo de dano, o mesmo deverá ser mais valorizado.

Desse modo, visite o imóvel e observe cada parte do mesmo. Os cantos, as paredes, o teto, os pisos… Tudo! Tudo precisa ser observado com bastante cautela, para que nada passe desapercebido. Pois um rachado na parede pode falar muito sobre a estrutura como um todo, e isso pode ser crucial na hora de estipular o valor do imóvel.

3- Atente-se para os revestimentos e acabamentos

Revestimentos e acabamentos podem valorizar muito um imóvel. Afinal, além de serem decorativos, eles são responsáveis por promover uma estrutura mais firme e protegida, em diversos tipos de situações.

Desse modo, você não deve apenas considerar se o imóvel apresenta revestimentos ou não. Mas sim, deve se atentar para a qualidade dos mesmos.

Que tipo de acabamento faz parte da cozinha da casa? Qual é o efeito decorativo do mesmo? Qual é o efeito de proteção que este tipo de acabamento gera para o ambiente em questão?

Estes questionamentos precisam ser respondidos com muito cuidado, pois um tipo de azulejo pode ser muito mais valorizado que outro. E, caso você não tenha uma visão apurada neste sentido, poderá estar perdendo a chance de viabilizar uma compra um pouco mais valorizada.

4- A garagem também pode agregar valor

Sabemos que a garagem pode agregar muito valor ao imóvel. Para sermos mais precisos, uma garagem pode aumentar até 30% o valor de um imóvel! O que parece ser bastante, não é mesmo?

Mas não deixa de ser algo extremamente justo, pois este valor irá contemplar uma necessidade muito importante de qualquer família.

Portanto, quantos mais vagas de garagem maior o valor agregado.

5- Considere a urgência do negócio

Outro ponto igualmente importante é a urgência do negócio em si. Afinal, quanto antes um proprietário quer vender um imóvel, maiores serão as chances de ele fechar um negócio, se o imóvel tiver um valor mais baixo, certo?

Por isso, você deve ter uma conversa aberta e honesta com o proprietário, para que fique bem claro qual é o tempo necessário para que a venda seja efetivada. Lembre-se que quanto menor for o prazo de venda, menor será o preço do imóvel.

6- Observe a valorização dos imóveis locais

Por fim, procure sempre observar qual é a valorização dos imóveis locais, na região em questão. Você deverá fazer uma pesquisa sobre os valores dos mesmos, em um período específico, até os dias de hoje. Se, por exemplo, houve uma grande valorização, você deverá considerar isso na hora de estipular o valor de um imóvel.

Saber qual é o índice de valorização de cada um destes imóveis é um bom caminho a ser seguido. Até porque, dessa maneira, você também poderá ter uma projeção de qual será a valorização do imóvel que está sendo avaliado. Assim, poderá usar estas estatísticas como um bom critério de compra para o seu cliente.

E aí, gostou das dicas? Continue nos acompanhando e fique super inteirado sobre o que ocorre no mercado imobiliário. 

Pesquisa e apoio a matéria: villeimobiliarias.com.br/

Sobre o autor

Imoveis Franca

Deixe um comentário